A ONG SOS Cuesta de Botucatu promoveu nesta última quinta feira, 21 de junho de 2012, um encontro de gestores, onde foi apresentado o diagnóstico socioambiental da microbacia do Córrego da Cascata, projeto patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Ambiental.

A equipe do projeto identificou que o Córrego da Cascata é abastecido por 13 nascentes principais e 24 pequenos olhos d’água. Os resultados da análise da água, de acordo com o IQA (Índice de Qualidade da Água utilizado pela CETESB), indicam que a água do Córrego é de boa qualidade.

A Microbacia compreende 12 bairros onde residem 3849 pessoas e possui muitos atrativos naturais com destaque para o relevo que exibe um dos morros testemunhos da região, o Morro de Rubião Jr, com 950 metros de altura. Ao longo de seu percurso, o Córrego da Cascata aproveita das ondulações do terreno e se lança em 7 cachoeiras e diversas cascatas, se abre em 5 represas e se esparrama em 27 hectares de várzea.

Quatro remanescentes florestais abrigam 125 espécies da flora brasileira com destaque para o Breu e a Canela Sassafrás, árvores ameaçadas de extinção. A floresta proporciona abrigo e alimento para 136 espécies de aves e 15 espécies de mamíferos como o Tamanduá bandeira, o Cachorro do mato, a Paca, e a delicada Cuíca.

Além dos atrativos naturais, a microbacia possui atrativos históricos com destaque para a Estação Ferroviária de Rubião Jr e atrativos religiosos com destaque para a Igreja de Santo Antônio, que determinam a sua aptidão para o turismo.

O resumo dos resultados da Caracterização Socioambiental do Córrego da Cascata foram disponibilizados aos presentes em forma de livro.

A equipe do projeto, com a ajuda da população residente, identificou os problemas ambientais que interferem diretamente na qualidade da microbacia como o assoreamento do Córrego da Cascata, causado pela ausência de curvas de nível nas pastagens e por ruas de terra localizadas nas partes mais altas da bacia sem a devida manutenção. As partículas de terra são carreadas para o Córrego com as chuvas e seu acúmulo é facilmente observado na represa do Parque das Cascatas e nas proximidades do Spazio Verde.

Depois do assoreamento, o lixo foi indicado pela população como principal fator de degradação ambiental e foi registrado em todos os recantos da microbacia, tanto em áreas comuns como na Rodovia Domingos Sartori como em áreas de difícil acesso como na interior das matas onde foram encontrados vários pontos de descarte de lixo e entulho.

Ao final da apresentação dos resultados da caracterização socioambiental, os presentes foram incentivados a dizer como poderiam colaborar para reverter os processos de degradação da microbacia. O prefeito municipal João Cury Neto, lembrou das ações sociais recentemente implementadas na microbacia como a iluminação da Rodovia Domingos Sartori, a implantação do sistema de esgoto sanitário no bairro Santo Antônio da Cascatinha e a ampliação do número de vagas na Rede Básica de Ensino Infantil com a Creche Municipal João Rosseto e a EMEI Hermelindo Borgatto. O prefeito declarou que pretende contribuir para reverter os processos de assoreamento do Córrego em parceria com os proprietários e com a equipe do projeto, oferecendo o maquinário necessário para fazer as curvas de nível nos pastos e para o desassoreamento da represa do Parque das Cascatas.  Disse também que pode colaborar com a logística e organização de um mutirão de coleta de lixo e entulho com a intenção de conquistar o título de Lixo Zero para a microbacia. Informou também que a prefeitura vai instalar um Ecoponto em Rubião Junior, local destinado para o descarte de materiais que podem ser reciclados e reutilizados.

Outras parcerias foram formadas no decorrer do Encontro de Gestores para realizar ações de conservação da fauna silvestre, ações de educação ambiental voltadas para a elaboração de material educativo, ações de revitalização da área da Igreja de Santo Antônio entre outras.

Com esta reunião, a equipe finaliza mais uma etapa do projeto Córrego da Cascata destinada à gestão compartilhada da microbacia onde a sociedade, o poder público e a iniciativa privada definiram os seus interesses ligados ao desenvolvimento e as soluções integradas de planejamento para a recuperação e preservação da microbacia.

Além de toda a equipe do projeto e do prefeito João Cury, estavam presentes os Secretários Narcizo Minetto Jr, João Carlos Figueiroa, Nivaldo Francisco Vizotto, Luiz Roberto Coelho Gomes da Ouvidoria Municipal e a Dra Áurea Calixto, representando o grupo da Vigilância Ambiental em Saúde. Também participaram da reunião o Vereador Fontão, representantes da Fundação Florestal, Usina São Manoel, Sabesp, Caio/Induscar, UNESP, CATI, CETESB, Conselho Regional de Desenvolvimento Rural, o Padre Ivonil da Igreja de Santo Antônio, o SENAC, a Aprendix, o Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo, a OAB, a ONG IPESA, o Instituto Itapoty e a Ação da Cidadania de Botucatu. Moradores ilustres como o Sr. João Mauad, José Fernando Cotrin Sartor, Edivaldo Brandão, André Funari entre outros.