À esquerda e ao fundo da foto, o estagiário Bruno Issamu Kanno que organizou o cerimonial do evento. Na mesa principal, Fernando Cotrim Sartor, o vereador Dr. Bittar, o prefeito João Cury Neto, a coordenadora geral do projeto Nelita Maria Corrêa, o gestor do projeto Marcos Vinícius de Almeida Silva e a Secretária do Meio Ambiente Cynthia Zanotto Salvador.

 

ONG oficializa início do

Projeto Córrego da Cascata

A S.O.S Cuesta de Botucatu anunciou o início do Projeto Córrego da Cascata na noite de 19 de maio, quando ofereceu um coquetel no Buffet Sabor e Mordomia para autoridades, parceiros e beneficiários do projeto, representantes da sociedade civil e amigos.

O gestor do projeto Córrego da Cascata, Marcos Vinícius de Almeida Silva, da Comunicação Institucional e Responsabilidade Social dos Programas Ambientais da Petrobras, veio do Rio de Janeiro para conhecer a cidade onde o projeto será desenvolvido. A presença do gestor Vinícius no evento simboliza o compromisso da Petrobras com a questão ambiental e com a sociedade civil organizada.

A presença do Prefeito João Cury Neto foi motivo de grande satisfação para a ONG nessa noite festiva. Para o prefeito João Cury, o projeto Córrego da Cascata vem preencher uma lacuna que existe na administração pública que é a agilidade da sociedade civil em produzir o conhecimento aprofundado de uma determinada região da cidade para definir ações de desenvolvimento e proteção. Destaca que o projeto visa conhecer as pessoas da microbacia e a maneira como elas vivem. Esse cuidado é uma questão primordial para a atual administração pública, trabalhar para melhorar a vida das pessoas.

Além do gestor e do prefeito, fizeram parte da mesa principal o Sr. Fernando Cotrim Sartor, representando os beneficiários do projeto. O vereador Dr. Bittar, representante da sociedade civil ambientalista na Câmara Municipal, parceiro da SOS Cuesta no projeto Ribeirão Tanquinho Vivo, também patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Ambiental. José Bittar destaca que a ONG vai muito mais além do discurso ambientalista e realiza ações importantes para o município, com resultados positivos para a melhoria da qualidade ambiental e consequentemente da qualidade de vida dos botucatuenses. Representando os parceiros do projeto, a Secretária do Meio Ambiente Cynthia Zanotto ressalta que o projeto é de suma importância para a preservação do recurso hídrico e de suas matas ciliares que encontram-se em bom estado de conservação.

Para a Coordenadora Geral do Projeto Córrego da Cascata, Nelita Corrêa, o ano de 2011 será um marco para a SOS Cuesta. Neste ano a ONG comemora 10 anos de vida e  inicia o projeto Caracterização, Recuperação e Planejamento Ambiental do Córrego da Cascata, selecionado em 2010 entre outros projetos do Brasil todo, para receber o patrocínio da Petrobras, através do Programa Petrobras Ambiental.

Nelita fala aos presentes sobre as ações que serão desenvolvidas pelas coordenadorias e da equipe que realizará este trabalho:

"No primeiro ano de execução do projeto, vamos realizar o diagnóstico sócio ambiental da microbacia hidrográfica. Vamos conhecer as pessoas que moram e trabalham na microbacia e entender como essas pessoas interferem na qualidade ambiental ribeirinha. Para realizar essa tarefa eu conto com a estagiária Fernanda Helena Palermo que me acompanha e auxilia na Caracterização do Meio Social. Na última quinta feira de cada mês, vamos realizar 9 reuniões com a população para ouvir seus anseios, suas sugestões, falar de coleta seletiva, drenagem urbana, das memórias do desenvolvimento do bairro, das histórias da ferrovia, do morro de Santo Antônio. Essas reuniões serão realizadas na Associação dos Docentes em Rubião Junior, e a primeira será na próxima 5ª feira, dia 26 de maio".

  "Vamos conhecer as características do solo, como se comporta o clima, conhecer o recurso hídrico, como anda a qualidade e o volume de suas águas, saber o que está causando o seu assoreamento. Para realizar essa tarefa eu conto com o Kaco (Marcio Piedade Vieira) e os estagiários Luca Lopes Toledo Santos, Ligia Linardi e Rafaela Paes de Almeida. Essa é a equipe da Caracterização do Meio Físico que ainda conta com o inestimável apoio técnico da Sabesp e da CATI – Coordenadoria de Assistência Técnica Integral".

 "Vamos conhecer os remanescentes florestais da microbacia. Porções de floresta nativa e da mata ciliar que abrigam espécies da mata atlântica e do cerrado. A caracterização do meio biótico vegetação vai identificar as árvores, marcar o local onde elas vivem, coletar folhas, flores e sementes e gerar um herbário. Esta tarefa será realizada pela equipe da Letícia Esvícero, formada pelo Maninho(Silvio Alexandre de Jesus, Glaucia Uesugi e a estagiária Laila Brito".

 Vamos conhecer as aves e os mamíferos que também moram na microbacia. Para caracterizar o Meio Biótico Fauna conto com o Helton Carlos Delicio que coordena a equipe da avifauna formada pelo Rodrigo Santiago e Mariana de Castro, que passam horas observando as aves, identificando-as visualmente, fotografando e gravando o seu canto. O Helton coordena também a equipe da mastofauna, formada pelos estagiários Bruno Issamu Kanno e Vinícius Nunes Alves,  que identifica as espécies de mamíferos através de rastros e pegadas deixadas no meio da mata. Eles também identificam esses bichos com o auxílio de câmeras fotográficas, que disparam sozinhas quando os animais passam por elas. Esta equipe ainda conta com a ajuda do Luis Gustavo Infante, estagiário voluntário, nosso filhote!"

 Também vamos promover o plantio de 10.666 árvores frutíferas nativas na APP de uma área pública no bairro Recanto Azul, nas APPs da Chácara Santo Antônio, na Chácara São João ou Serra, no sítio Capão Bonito de Baixo e na propriedade da Fundação Casa das Meninas Amando de Barros. Quem coordena esta atividade é a Maria Rita Gilli e a Laila.

 No segundo ano de realização do projeto, depois de amplo conhecimento da microbacia iremos elaborar um Plano de Saneamento Ambiental, que é a pactuação dos usos da microbacia um conjunto de medidas, visando a preservar ou modificar as condições do meio ambiente. A eficácia do planejamento participativo trilha o caminho para a gestão bem sucedida da microbacia no futuro. Para a construção desse plano, esperamos contar com a participação efetiva da população e dos parceiros do projeto: A Secretaria do Meio Ambiente, O Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo, o SENAC, a Associação de Moradores do Parque das Cascatas e o Residencial Spazio Verde, além da cooperação técnica da Sabesp e da CATI.

Esperamos promover a gestão partilhada da microbacia. Promover as atividades econômicas de maneira sustentável. Fomentar as ações ecoeficientes como o uso racional da água, economia de energia, construções sustentáveis, coleta seletiva de lixo, entre outras. Promover a proteção dos mananciais, dos fragmentos florestais, da biodiversidade e do morro de Rubião Jr. Para tanto, conto com a Mônica Gasparini para agenciar as políticas públicas.

Finalizando a cerimônia de abertura do evento, a Coordenadora Geral, em nome de sua formidável equipe, agradece aos amigos, aos parceiros e apoiadores ao longo dos 10 anos de atividades da SOS Cuesta: "É por vocês que estamos aqui hoje, com muito orgulho e alegria, para lançar o projeto Caracterização, Recuperação e Planejamento Ambiental do Córrego da Cascata, que esperamos, representará um divisor de águas na gestão ambiental compartilhada em nosso município".

 

Home Córrego da Cascata