Décima Manutenção das APPs do Reflorestamento
 

A Manutenção do Reflorestamento corresponde ao terceiro eixo do projeto Ribeirão Tanquinho Vivo: Mobilização e Educação Ambiental como instrumentos de gestão ambiental

 

 A décima manutenção dos primeiros quatro quarteirões do Ribeirão Tanquinho estava programada para o mês de Junho, contudo, algumas atividades pensadas para o mês de Agosto, como a Trilha do Ribeirão Tanquinho, foram motivos para a reprogramação da atividade de manutenção para esse mês.
 

As atividades foram realizadas durante os dias 12, 13, 14 e 15 de Agosto de 2008. Para cada dia de manutenção foram necessárias três pessoas como mão de obra.
 

A atividade denominada A Trilha do Ribeirão Tanquinho foi realizada nas áreas de preservação permanente do Ribeirão Tanquinho, localizadas no primeiro quarteirão. Dessa forma, os esforços da manutenção se concentraram em sua maior parte no primeiro quarteirão.
 

 No primeiro quarteirão, as atividades foram destinadas à construção de cercas de bambu para proteção das cercas vivas, roçada mecânica do capim, manutenção e alargamento da trilha de aproximadamente 400 metros de extensão, manutenção das escadas para facilitar o percurso na trilha, proteção das mudas menores, limpeza das beiras das calçadas e coroamento das mudas.

 

Resultados Obtidos

  •  10 ações de limpeza das APPs dos 4 primeiros quarteirões percorridos pelo Ribeirão Tanquinho

  • Mudança da paisagem:É possível confirmar que houve mudança da paisagem, melhoria da qualidade de vida dos ribeirinhos e a melhoria da auto-estima da população ribeirinha.

  • Melhoria da qualidade ambiental

  • Melhoria da qualidade de vida dos ribeirinhos

  • Houve significativa mudança da paisagem, como o aumento da utilização da área pelos moradores.

A mudança da paisagem das áreas de preservação permanente do Ribeirão Tanquinho, após 12 meses de trabalhos desenvolvidos, é indicada por alterações significativas na aparência do ambiente ribeirinho, podendo ser observada a transformação de atitude por pessoas que moram no entorno do Ribeirão. A população sempre utilizou a trilha do primeiro quarteirão como travessa entre as ruas Salim Kahil e Prudente de Moraes, mas raramente esse acesso era respeitado com relação ao descarte de materiais e preservação da vegetação. Sempre foi muito comum nessa região encontrar garrafas “Pet”, sacos de lixo, embalagens de produtos, entre outros materiais, além de galhos de árvores ou mudas quebradas. Durante os 12 meses de trabalho foi observado um decréscimo da quantidade de lixo encontrado especificamente nesse acesso, e também maior conservação da vegetação do local, fato que pode ser explicado pela periodicidade da conservação e limpeza da trilha.

 

As Áreas de Preservação Permanente do primeiro quarteirão apresentavam em seu reflorestamento, grandes concentrações de plantas invasoras, principalmente de mato (capim brachiária). Com as atividades de manutenção, essas plantas foram controladas, propiciando à vegetação arbórea e plantas ornamentais melhores condições de crescimento e desenvolvimento.

 

 Quarteirão 1 Rua Prudente de Moraes durante capina e a mesma área depois de capinada

 

Com as atividades do Eixo Manutenção do Reflorestamento, em conjunto com o de Mobilização e Educação Ambiental, algumas áreas do primeiro quarteirão foram contempladas com plantios de cercas vivas e plantas ornamentais. Essa atuação atraiu a população local para o interior da mata ciliar do Ribeirão Tanquinho, despertando o interesse dos moradores para esse local.

 

Morador utilizando o acesso da trilha do Quarteirão 3 que liga as ruas Campos Salles e Visconde do Rio Branco, apreciando a mudança da paisagem.

 

 

O segundo quarteirão não é utilizado como pontos de travessia, e assim, sua vegetação se caracteriza principalmente pela mata ciliar do Ribeirão Tanquinho. Nesta área havia grande presença de plantas invasoras e baixo desenvolvimento da vegetação arbórea. As calçadas que limitam esse quarteirão também eram ocupadas pelo capim brachiária. Com as atividades de manutenção, esse capim foi controlado, proporcionando melhor desenvolvimento para as vegetações nativas do local.

 

Quarteirão 2 - rua Prudente de Moraes

Quarteirão 2 rua Campos Salles

 

O terceiro quarteirão já era utilizado pela ONG S.O.S Cuesta de Botucatu, em suas atividades de educação ambiental. Entretanto, essa área vinha apresentando também um alto índice de infestação de plantas invasoras. Com as atividades do Eixo Manutenção do Reflorestamento, em conjunto com o de Mobilização e Educação Ambiental, esse quarteirão se transformou em um grande jardim e hoje é muito utilizado não só para o trafego de pessoas, como também para o lazer e contemplação da natureza.

 

Quarteirão 3 - Vegetação invasora Quarteirão 3 - Implantação de jardim

 

A população ribeirinha mobilizada ao longo do projeto deu continuidade às ações no Ribeirão Tanquinho. A primeira ação organizada por eles e com apoio da ONG S.O.S. Cuesta foi o plantio de canteiros de ervas medicinais no 3º quarteirão.

 

 

Quarteirão 3 - Plantio de ervas e temperos

 

Quarteirão 3 - Plantio de ervas e temperos - Manjericão roxo.

 

O quarto quarteirão pode ser considerado uma área especial, pois na margem esquerda do ribeirão encontram-se a rua Palmiro Biazon, localizada totalmente em APP e varias residências que tem sua frente voltada para a respectiva rua. Tanquinho. Esta margem apresenta pouca vegetação arbórea, sendo encontradas algumas árvores de amora no limite da rua. As áreas próximas ao rio sempre foram ocupadas por vegetação invasora, como o capim brachiária. A outra margem do ribeirão neste quarteirão também apresentava grande quantidade de plantas invasoras, mas, ao longo dos 12 meses de trabalho, algumas espécies de porte arbóreo foram plantadas pela população e pela Prefeitura Municipal de Botucatu, como ajustamento de conduta. Com as atividades do eixo de manutenção do reflorestamento foram controladas as plantas invasoras, contribuindo para melhor desenvolvimento das árvores plantadas.

 

Quarteirão 4 - rua Palmiro Biazon, margem esquerda Quarteirão 4 - rua Palmiro Biazon, margem direita

 

Desde o início das atividades da ONG S.O.S Cuesta de Botucatu no Ribeirão Tanquinho é possível verificar a mudança de paisagem do local. Contudo, as mudanças recentes, provenientes das atividades dos eixos de manutenção e mobilização foram muito expressivas, transformando realmente essa área em um local agradável e admirado pela população. Hoje, as Áreas de Preservação Permanente do Ribeirão tanquinho já não são mais vistas como um local de sujeira e descaso, mas sim um local prazeroso de se estar.

 

 

Quarteirão 3 - Bosque da rua Campos Salles

 

 

Voltar para o Projeto Ribeirão Tanquinho Vivo; Mobilização e Educação Ambiental como instrumentos de gestão ambiental