Projeto Córrego da Cascata realiza a Primeira Reunião de Troca de Conhecimentos com a população.

 

Na noite de quinta feira, 26 de maio, na Associação dos Docentes em Rubião Jr, a ONG recebeu os parceiros do projeto e os moradores da microbacia do Córrego da Cascata para trocar informações sobre a área de abrangência do projeto e para definir quais são os seus principais problemas e as possíveis soluções.

Estavam presentes nessa reunião, a equipe executora do Projeto, a  Secretaria Municipal do meio Ambiente, representando os parceiros; o sítio Capão Bonito de Baixo, representando os beneficiários e representantes dos bairros Recanto Azul, Spazio Verde, Parque das Cascatas e Santo Antônio da Cascatinha.

A Coordenadora Geral do projeto Córrego da Cascata, Nelita Corrêa, apresentou o filme sobre os 10 anos da ONG SOS Cuesta e sua parceria com a Petrobras. Em seguida apresentou algumas fotos da microbacia, mostrando algumas fragilidades do meio físico e potenciais fatores de assoreamento do Córrego da Cascata. Segundo a Coordenadora Geral, o rápido processo de assoreamento do córrego foi o principal motivo da ONG encaminhar o projeto para a 4ª seleção pública do Programa Petrobras Ambiental, para receber o patrocínio da Petrobras.

Lago situado no bairro Parque das Cascatas. Ao fundo e à esquerda da foto, nota-se o avançado   processo de assoreamento

Detalhe do assoreamento

Quantidade de areia aumenta a cada dia

 

As possíveis causas do assoreamento foram discutidas, entre elas a ausência de curva de nível nas propriedades rurais, o desmoronamento dos taludes da Rodovia Domingos Sartor, a movimentação intensa de terra ao longo da rodovia, ausência de estudo da captação de águas pluviais.

As causas serão diagnosticadas nos próximos meses  pela equipe do projeto, responsável pela Caracterização do Meio Físico. Posteriormente o diagnóstico será apresentado aos moradores e ao poder público e as soluções serão discutidas para que se defina uma maneira de recuperar o assoreamento do Córrego.

Enquanto a Caracterização dos Meios Físico, Biótico e Social está sendo realizada pela equipe do projeto, as Reuniões de Troca de Conhecimentos serão utilizadas para aproximar os moradores da microbacia; identificar problemas; definir soluções exequíveis e priorizar as ações para resolver os problemas relacionados à microbacia hidrográfica.

Durante a 1ª RTC, os presentes foram convidados a participar de uma atividade  onde elencaram os atributos positivos e os fatores de degradação da microbacia hidrográfica. Cada morador relatou os principais problemas e os  principais atrativos do seu bairro.

Moradores trocando conhecimentos sobre os atrativos e problemas encontrados nos bairros que compõem a microbacia hidrográfica do Córrego da Cascata.

 

As informações foram transcritas em tiras de papel e coladas no pôster da microbacia.

 

Dentre os atributos positivos foram relacionados:

  • A presença de uma espécie de anfíbio, uma perereca endêmica da região que pode ser utilizada como espécie bandeira: animal  carismático para o público, que é usado como propaganda para proteger determinada área e outras espécies menos conhecidas e seus habitats naturais.

  • O número de nascentes, riachos, cascatas, e lagos que compõem a microbacia hidrográfica do Córrego da Cascata.

  • A variedade de espécies da flora e da fauna. Biodiversidade.

  • As belezas naturais como a vegetação do Morro de Santo Antônio (Rubião Junior)a vegetação do Parque das Cascatas e os enormes e lindos Jatobás encontrados na região.                      

  • Atributos turísticos como a Igreja de Santo Antônio, a estação, a tradição e as histórias da ferrovia. A necessidade de restaurar as construções da ferrovia e dar novos usos com finalidade Turística.

Dentre os problemas encontrados nos bairros que compõem a microbacia foram relacionados os assuntos:

  • Lixo. Lixo na rodovia (colchões, sofás, plástico); Lixo doméstico na Avenida Bento Lopes nas proximidades do Morro de Santo Antônio. Relato de pessoas que abrem os sacos de lixo para retirar material reciclável. Lixo doméstico na foz do Córrego da Cascata.

  • Assoreamento das nascentes, do lago e dos cursos d'água.

  • Ausência de coleta e afastamento de esgoto no Parque das Cascatas.

  • Rodovia Domingos Sartori apresenta traçado que não favorece o escoamento das águas pluviais; carreamento de partículas de areia e terra para dentro do córrego; desmoronamento dos taludes; falta iluminação; utilização da rodovia como rota de caminhões pesados carregados de entulho.

  • Cheiro forte e ruim vindo da Caio/Induscar.

  • Falta de cuidados com as áreas verdes. Mangueiras morrendo no pátio do Morro de Santo Antônio.

 Os moradores e parceiros definiram que o Lixo é o problema que deve ser resolvido de imediato. Para a próxima reunião, no dia 30 de junho, a equipe da ONG em parceria com o SENAC e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, apresentará algumas sugestões para o problema do Lixo.

Participe da gestão partilhada do Córrego da Cascata.

Mande sua sugestão para  soscuesta@soscuesta.org.br

 

Home Caracterização Social