Mapa da Microbacia Hidrográfica do Córrego da Cascata indicando as áreas de plantios de espécies arbóreas frutíferas nativas

 

Recuperação Ambiental

Este módulo do projeto terá o acompanhamento técnico do coordenador Silvio  Alexandre de Jesus e da estagiária Laila Brito, que realizarão um o plantio de 10.666 mudas de espécies frutíferas nativas em 6,4 hectares de terras públicas e privadas.

Serão recuperadas 5 áreas de mata ciliar, localizadas em áreas de preservação permanente do Córrego da Cascata.

A área 1 está localizada próxima às nascentes principais do Córrego Cascata, onde serão recuperados 1,2 hectares. As áreas 2 e 3 estão localizadas na parte central da microbacia, onde serão recuperados 0,7 hectares em cada área. As áreas 4 e 5 estão localizadas a jusante do curso d’água. A área 4 possui 1,8 hectares e a área 5 possui 2,0 hectares. Neste local, encontramos a presença de gado e cavalos, que são deliberadamente soltos para pastagem. Assim, o cercamento da área é de extrema importância.

Dessas áreas, quatro  pertencem a proprietários rurais do município de Botucatu e uma é área pública do município (5).

Com a chegada da primavera as atividades da Coordenadoria de Recuperação Ambiental, responsável pelo plantio de espécies arbóreas nativas nas áreas de preservação permanente (APP) do Córrego da Cascata foram reprogramadas, devido ao atraso no início do projeto que coincidiu com a entrada do período de estiagem na região de Botucatu que apresenta invernos secos e temperaturas que se alternam entre muito baixas e veranicos extremos.

         Iniciando as atividades previstas, realizou-se entre os dias 15 e 30 de setembro visitas às propriedades as quais serão beneficiadas pelo plantio de árvores em áreas de preservação permanente do Córrego da Cascata, com objetivo de demarcar as áreas efetivas de plantio.

Na imagem acima podem ser identificadas as áreas que serão restauradas. A área número 4, de propriedade da Fundação Casa das Meninas Amando de Barros, com área total de plantio 1,8 ha, não poderá ser mais utilizada pelo projeto, pois existe a iniciativa da Prefeitura Municipal de Botucatu para a desapropriação da área, para a construção de tanques de contenção de água para evitar inundações e enchentes na foz do rio. Dessa forma, a área de plantio será transferida para locais estratégicos nas demais propriedades beneficiadas pelo projeto.

 

Tem interesse em reflorestar a sua área na Microbacia do Córrego da Cascata? Entre em contato com soscuesta@soscuesta.org.br.

 

 

A Coordenadoria de Recuperação Ambiental finalizou a demarcação das áreas de plantio, preparo e adubação do solo e promoveu o plantio das propriedades beneficiadas pelo projeto Córrego da Cascata.

3.4.1.                        Sítio Capão Bonito de Baixo

No Sítio Capão Bonito de Baixo foram demarcadas e cercadas 3 áreas para plantio num total de 2,12 ha e onde foram plantadas de 5.000 mudas.

Conforme a imagem, as áreas demarcadas em verde correspondem aos plantios dentro das APP’s, enquanto as áreas em branco são os plantios fora da APP.

 

         Chácara São João ou Serra

 

A área “A” demarcada em branco corresponde aos plantios realizados fora das APPs da nascente enquanto que a área “B” em verde, corresponde às áreas plantadas dentro das APP’sd a nascente nº 11. A área “A” possui aproximadamente 0,3 ha onde foram plantadas 950 mudas.

A área denominada “B” pertence à área de preservação permanente do curso d’água do Córrego da Cascata e tem 0,1672 ha. É uma área de declive e apresenta algumas árvores isoladas. O plantio nessa área irá favorecer a ligação entre o fragmento da nascente e a vegetação que envolve o lago da propriedade, formando um corredor ecológico. Na área “B” foram plantadas 750 mudas.

Somando-se a área “A” e a área “B”, foram plantadas 1.700 mudas, em 0,46 hectares, na Chácara São João ou Serra.

Chácara Santo Antônio

O local destinado ao plantio está totalmente inserido em APP, e possui área aproximada de 0,222 ha, nos quais foram plantadas 800 mudas.

 

Fundação Casa das Meninas Amando de Barros

A área da Fundação Casa das Meninas Amando de Barros está em processo de desapropriação pela prefeitura de Botucatu que utilizará a área para a construção de um lago artificial de contenção de águas pluviais, com recurso federal do Programa de Aceleração do Crescimento.

As 5000 mudas destinadas para a área da Fundação foram plantadas na área 1, no Sítio Capão Bonito de Baixo, superando as 3.750 mudas previstas anteriormente.

Recanto Azul  

As APPs do Córrego da Cascata no bairro Recanto Azul pertencem à Prefeitura Municipal de Botucatu. Estão localizadas no setor D da microbacia onde foram delimitadas uma área de plantio de 1,30 ha e plantadas 3.900 mudas de espécies nativas. A área de plantio está demarcada em verde e refere-se às áreas plantadas dentro das APPs, enquanto as áreas em branco são as plantadas fora da APP.

 

Resultados dos plantios

 

No início do projeto foi estimado um plantio em 6,4 hectares. Essa estimativa foi baseada em dados fornecidos pelos beneficiários e não foi possível, no momento da elaboração do projeto inicial, realizar a demarcação em campo para averiguar os dados.

A redução da área plantada na Chácara Santo Antônio acometida por alagamentos, também contribuiu para que a área de plantio prevista fosse reduzida.

Assim, dos 6,4 ha estimados, houve aproveitamento para o plantio de 4,12 ha.

A partir da constatação da redução da área a ser recuperada, a equipe optou por diminuir o espaçamento de plantio entre as mudas, o que resultou no plantio de 11.910 mudas.

 Com a redução das áreas, a extensão das margens protegidas também foi reduzida. Inicialmente, foi previsto o plantio em 2 quilômetros lineares ao longo do curso d’água e ao final do plantio obteve-se 1 quilômetro.

A alteração do espaçamento de plantio não desfavorece a função das mudas para a recuperação das áreas plantadas. O adensamento das mudas pode inclusive favorecer o crescimento das mesmas, por aumentar a competição de luz entre elas, permitindo um controle das gramíneas e demais plantas invasoras com menor tempo, favorecido pelo fechamento de suas copas. Entretanto, a longo prazo, o adensamento pode provocar uma mortalidade superior das árvores adultas, pelo mesmo processo de competição entre os indivíduos.

Espera-se que a própria floresta plantada já esteja madura suficiente para gerar novos indivíduos, através da dispersão de suas sementes, ou mesmo acolher a dispersão das sementes dos fragmentos vizinhos. Esse processo pode ser considerado como indicativo do sucesso do plantio de recuperação.

Pelos plantios realizados, pode-se perceber que as margens do Córrego da Cascata são áreas com alta resiliência, ou seja, alta capacidade de se auto recuperar. Isso porque puderam ser observadas muitas árvores de mata ciliar que nasceram às margens do córrego. Já é possível observar uma regeneração natural dessas áreas,entretanto, o processo de regeneração natural é lento, e o plantio de mudas se torna um catalisador do processo.

Manutenção do Reflorestamento

A atividade de aplicação de herbicida é mais delicada no processo de manutenção das mudas do plantio. Sendo um produto de alta periculosidade, sua aplicação deve ser realizada com auxilio de equipamentos específicos e equipamento de proteção individual.

O produto utilizado foi o herbicida a base de gliphosate, na dosagem de 4 litros/hectare. O equipamento para aplicação do produto foi uma bomba costal, com bico dosador, para evitar a deriva do produto, o que poderia prejudicar o desenvolvimento das mudas, em caso de contato acidental.

Todas as atividades de manutenção do plantio foram indicadas pela faixa do projeto.

 

Home Córrego da Cascata